You are currently viewing Psoríase – Sintomas, causas e tratamento

Psoríase – Sintomas, causas e tratamento

  • Post author:

Muitas vezes confundida com dermatite de contato e outras doenças do tipo, a psoríase é uma doença identificada por placas vermelhas e descamativas em locais como cotovelos, joelhos, mãos, pés, couro cabeludo, região genital e unhas, pode variar de um processo leve até lesões graves e capazes de comprometer a pele do local.

Por ser autoimune – onde o próprio organismo ataca a si próprio – a psoríase não é contagiosa. Possui níveis gradativos de magnitude, onde o tratamento pode ser simples ou com muita dificuldade de cura, podendo até comprometer as articulações e trazer incapacitação física.

Causas da psoríase

A psoríase é uma doença que inflama a pele, podendo ser do tipo crônica ou multigênica – quando apresenta vários genes envolvidos em sua formação. Cerca de 30% dos casos possuem incidência genética e há indicações avançadas de que boa parte de seu surgimento se trata de causas psicológicas.

A genética acrescida de fatores de risco como exposição ao frio, uso de determinados medicamentos, histórico familiar, obesidade, excesso de ingestão alcoólica, tabagismo e estresse são apontados como principais possíveis causas.

Existem também indicações de que o seu surgimento pode ser consequência de doenças como infecções na garganta, AIDS e lesões na pele (como queimaduras de sol e machucados). A psoríase surge em 15% das pessoas no período da infância, mas o mais comum é que apareçam os primeiros sintomas antes dos 30 anos ou depois dos 50.

Sintomas

Os sintomas da psoríase vão variar dependendo do tipo de psoríase. Para facilitar, estão listados alguns tipos da doença e as suas características:

Psoríase vulgar

Esta é a mais comum e a que apresenta as características mais básicas da doença, como lesões avermelhadas em vários tamanhos, com escoriações secas e esbranquiçadas. Em casos mais graves podem surgir rachaduras e sangramentos nas lesões.

As escoriações surgem em várias partes do corpo, inclusive nos genitais e dentro da boca.

Psoríase Invertida

É quando as manchas avermelhadas e inflamadas surgem em dobras do corpo, geralmente em partes mais úmidas como axilas e virilhas. Esse tipo da doença pode se agravar em pessoas que apresentam sudorese excessiva e também em indivíduos obesos, com um número maior de dobras no corpo.

As manchas podem se espalhar mais facilmente e causar dor, pelo grande atrito da região.

Psoríase Gutata

Comum em crianças e jovens, é desencadeada através de infecções bacterianas. Problemas respiratórios e de garganta são os que mais ajudam a alavancar a doença, causando pequenas feridas em formato de gotas pelo tronco, pernas e braços.

Psoríase Ungueal

Ela surge nas extremidades do corpo, como dedos e unhas tanto dos pés quanto das mãos. As unhas crescem muito mais que o normal, trazendo também escamações, descoloração, depressões e manchas amareladas.

Psoríase Pustulosa

A mais rara das psoríases, apresenta manchas em todo corpo e formação de bolhas com pus, que secam em dois dias, mas que podem aparecer novamente, causando febre, coceira e outros sintomas.

Psoríase Eritrodérmica

Nesse tipo de psoríase, as manchas vermelhas coçam e ardem bastante, trazendo outras manifestações físicas como infecções, queimaduras graves e corticosteroides, quando não controlada adequadamente.

Psoríase Artropática

Ela apresenta os sintomas comuns de uma psoríase vulgar, porém também oferece fortes dores nas articulações e progressiva rigidez no local, como uma artrite.

Tratamento da Psoríase

O diagnóstico da psoríase é feito a partir do exame clínico de um dermatologista, que avalia o tipo de dano causado à pele, além de outros sintomas. Como tratamento, o foco é reduzir a inflamação e as placas para normalizar a aparência da pele, que pode ser feito através de medicação tópica, sistêmica ou fototerápica, de acordo com o tipo de psoríase detectada.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo.

Deixe um comentário