You are currently viewing Dermatite de contato – Sintomas, causas e tratamento

Dermatite de contato – Sintomas, causas e tratamento

  • Post author:

Muito comum, a dermatite de contato é uma reação inflamatória da pele quando exposta a algum elemento que provoca irritação ou processos alérgicos. Se caracteriza por coceiras, vermelhidão, descamação da pele e erupções cutâneas, que podem aparecer em conjunto ou individualmente.

A dermatite de contato não é nem contagiosa e nem configura risco de morte, sendo facilmente tratada quando se é detectada a causa.

Porém, a demora em resolver o problema, pode causar a evolução da doença, fazendo com que ela entre em estágios que mais graves e mais complexos de resolver.

Causas e sintomas da doença

Nem sempre a dermatite aparece no primeiro contato com o seu agente de irritação. Ela pode surgir após algum tempo, dificultando a identificação do agente.

Da mesma forma, ela pode pular de crônica para aguda, sem que a pessoa perceba, já que em muitos casos a dermatite não causa preocupação e nem desconforto.

A transformação de aguda para crônica acontece pelo tempo em que a doença permanece no organismo. Acima de seis semanas ela já se desenvolve para este quadro. A diferença de classificação também se caracteriza pelo tipo de reação que causa na pele, tais como:

Irritante Primário:

É o tipo mais comum de dermatite de contato, que acontece quando a pele está em contato com algum agente que provoca irritação direta. Não é uma reação alérgica e sim uma irritação causada pelo agente.

Dentre seus sintomas estão pele seca, áspera e vermelha, com eventuais fissuras nas mãos, com menos coceira e mais sensação de queimação. É o tipo de dermatite que aparece quando há contato com detergentes, cosméticos e desodorantes;

Alérgica:

É quando há uma reação alérgica à substância de contato, algo que já se é sensível e que desencadeia uma reação imunológica.

Os sintomas são erupções vermelhas e que podem gerar bolhas. Dentre as substâncias mais comuns desse tipo de dermatite estão borra natural, metais, bijuterias, perfumes, cosméticos, tintura de cabelo e algumas plantas;

Dermatite de Contato Fototóxica:

É quando o contato com a radiação UVA desencadeia transformações nas substâncias de contato, provocando uma reação física;

Dermatite de Contato Fotoalérgica:

É quando a luz solar ajuda a desencadear um processo alérgico.

Como a dermatite de contato pode aparecer após o contato com produtos químicos como solventes, ácidos e bases, ela também pode ser gerada por reação ao frio e excesso de exposição a água.

Dessa forma, muitas pessoas apresentam dermatite ao manipular detergentes, sabonetes, perfumes e cosméticos. Também o uso de bijuterias e o contato com animais podem causar marcas alérgicas.

As reações cutâneas são superficiais, ou seja, atingem a epiderme e em alguns casos a derme exterior. Em muitos casos, a dermatite de contato leva dias para desaparecer, deixando um resquício por um tempo.

Nos casos em que a pele continua em contato com o que provocou o processo de dermatite, ela não só vai durar mais, mas também poderá se agravar chegando à feridas.

Tratamento da Dermatite de Contato

Para tratar de maneira adequada de uma dermatite de contato é preciso saber qual o agente desencadeador do processo. Assim, será possível evitar sua proximidade com a pele, o que em alguns casos já resolve o problema sem precisar do uso de medicamentos.

Em casos onde há queimações e pele irritada, compressas úmidas podem ajudar, assim como o uso de cremes antiinflamatórios, que ajudam a atenuar os incômodos. Dependendo do caso, também pode haver a necessidade de prescrição de remédios orais e tópicos, que devem ser utilizados em ordem decrescente para evitar problemas renais.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em São Paulo.

Deixe um comentário